segunda-feira, 22 de novembro de 2010

HORTAS DI POBREZA

Atravessando caminhos de terra e cabras no sul da Guiné-Bissau, é possível encontrar Pobreza, uma aldeia balanta isolada no fim de uma remota península de sal. Aparentemente perdida no tempo e envolta por mato denso, a tabanca não vive alheia às dinâmicas económicas dos mercados globais. Os sacos que outrora daí saíam cheios de arroz di bolanha para vender, levam agora o novo ouro da terra: o caju.
“Djintis ka tem gós!” Os filhos da terra estão a migrar. Em Pobreza restam mãos enrugadas, que depositam agora a esperança nas novas “hortas” de caju, a castanha que produzem e não comem.


Em exibição na IX Mostra de Documentários sobre Direitos Humanos.