sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Ruada :: festival de música tradicional portuguesa

O Ruada começa hoje e acaba amanhã no Espaço do IPJ de Lisboa (Moscavide).

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Trio Guanabara em concerto no Teatroesfera

O Trio Guanabara vai estar em concerto no espaço Teatroesfera da cidade de Queluz.

No dia 8 de Novembro, Sábado, às 22H30 começa o concerto de Bossa-Nova e a seguir Desenho Digital com conversa com Bruno Gomes.

Valor da entrada: 6€

Trio Guanabara : o projecto

«Um projecto intimista com referência a diversos autores da Bossa-Nova e do Jazz, onde a fusão é o tema principal.

A Guitarra Portuguesa surge nos Guanabara com uma sonoridade peculiar, assumindo uma nova identidade perante um universo musical diferente da sua expressão mais natural, o Fado.»

The Machine

C215 Stencil Art - Brasil

Dance Factory

Sven Väth, Samim, Dennis Ferrer, Pete Tha Zouk, Carlos Manaça, Dezperados e Freshkitos na noite de 15 de Novembro no Pavilhão Atlântico.

Preço:
25.00€ até ao dia 31 de Outubro
30.00€ a partir de dia 1 de Novembro

«A Arte do Crime» na Companhia Teatral do Chiado


«Um policial escrito por um dramaturgo inglês já por várias vezes aclamado pela critica, Richard Harris. E chega até nós após 9 anos em cena em West End, Londres, pela CTC, com encenação de Juvenal Garcês e interpretação de Emanuel Arada, Simão Rubim e Vanessa Agapito.»

Mais no blog A Arte do Crime


D.A.N.C.E

domingo, 19 de outubro de 2008

Ruas da Amargura


Esteve em exibição no DOC Lisboa.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

domingo, 12 de outubro de 2008

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Aos deputados.

Endereços de email dos grupos parlamentares:

blocoar@ar.parlamento.pt
gp_pcp@pcp.parlamento.pt
gp_pev@ar.parlamento.pt
gp_pp@pp.parlamento.pt
gp_ps@ps.parlamento.pt
gp_psd@psd.parlamento.pt

Assunto: No dia 10 de Outubro, SIM à liberdade e à igualdade.

No próximo dia 10 de Outubro, a Assembleia da República será chamada a votar projectos que estabelecem finalmente a igualdade no acesso ao casamento.

Esta é uma questão de direitos fundamentais, é uma questão de cidadania, é uma questão que determina a qualidade da nossa democracia. Trata-se de acabar com a humilhação de muitas mulheres e muitos homens que são ainda discriminadas/os na própria lei por causa da sua orientação sexual. Trata-se de afirmar finalmente que gays e lésbicas não são cidadãos e cidadãs de segunda.

A Assembleia da República terá finalmente a oportunidade de afirmar o seu empenho nesta luta pela igualdade e pela liberdade – e a oportunidade de contribuir de forma particularmente simples para a felicidade de muitas pessoas.

O fim da exclusão de gays e lésbicas no acesso ao casamento consegue-se com uma pequena alteração no texto de uma lei, que não implica custos nem afecta a liberdade de outras pessoas. Porém, será um enorme passo no sentido da igualdade e contra a discriminação. E como demonstraram as discussões sobre o voto para as mulheres ou sobre o fim do apartheid racista na África do Sul, o preconceito que existe na sociedade não pode nunca justificar a negação de direitos fundamentais. Pelo contrário, votar contra a igualdade é legitimar e encorajar a discriminação.

Esta votação representa por isso uma enorme responsabilidade, pelas implicações que terá no reforço ou na recusa do preconceito.

Porque recuso a discriminação na lei portuguesa e porque esta é a oportunidade de repor a justiça e cumprir o princípio constitucional da igualdade, seguirei com atenção esta votação - e apelo ao voto favorável de todos os membros deste Grupo Parlamentar e à defesa intransigente da igualdade no próximo dia 10 de Outubro.

Copiado daqui que copiou daqui.